“O pico chegou e esta semana será muito difícil”, diz médico de Brasília em áudio

99

O Cirurgião Lucas Seixas Doca Júnior atua como gerente geral de assistência na unidade e diz que faltam ventiladores. Iges-DF e Secretaria de Saúde negam.

Em um áudio enviado a colegas, o gerente geral de assistência do Instituto Hospital de Base do Distrito Federal (IHBDF), Lucas Seixas Doca Júnior, afirma que todos os ventiladores pulmonares para pacientes com Covid-19 da unidade estão ocupados.

Na gravação, enviada neste sábado (27), ele diz ainda que “se esgotaram as vagas privadas, as públicas e nós estamos criando mais”. O médico relata preocupação com a situação dos próximos dias na rede hospitalar da capital.

“Vamos aguentar firme, todos unidos, porque o pico chegou e esta semana será muito difícil.” Diz.

Em entrevista à TV Globo, o diretor-presidente interino do Instituto de Gestão Estratégica em Saúde do DF (Iges-DF), Sérgio Costa, negou a falta de ventiladores. “Há pouco estive no Hospital de Base, fizemos visita in loco. Nós verificamos todos os equipamentos disponíveis. Não há falta de equipamentos.”

Já o secretário-adjunto de Assistência em Saúde do DF, Ricardo Tavares, afirmou que há vagas de UTI na capital. “A rede tem sim UTI disponível, é importante saber que tem vários tipos de UTI. […] Não vamos conseguir todas com suporte ventilatório, que é o mais importante que precisa nessa fase da doença”, disse.

O áudio foi divulgado pelo site “O Antagonista” e confirmado pela TV Globo. Na gravação, o médico Lucas Seixas afirma que chegou a sugerir ao governo do DF maiores restrições para a circulação de pessoas nos próximos dias por conta da pandemia na capital.

“Fizemos uma sugestão de lockdown para as instituições da alta gestão, secretário, gabinete do governador e etc. A partir de terça-feira, dia 30, até dia 14. Para que a gente tenha uma diminuição gradativa dos leitos com ventilação e a segunda quinzena de julho seja mais tranquila, mesmo que a gente postergue um pouco a crise intrahospitalar. Mas é necessário porque se esgotaram as vagas privadas, as públicas e nós estamos criando mais.”

Segundo o sistema Sala de Situação, da Secretaria de Saúde, até as 17h05 deste sábado, o Hospital de Base tinha 66 leitos com suporte de ventilação mecânica para pacientes com Covid-19. Desse total, 59 estavam ocupados, ou seja, 89%.

Em toda a rede pública, são 500 leitos, sendo 302 ocupados (60,4%). Já nos hospitais privados, são 219 leitos, com 180 (85,84%) já com pacientes internados.

O que dizem os gestores

Segundo o diretor-presidente interino do Iges-DF, foi elaborado um plano de contingência que determina as medidas a serem tomadas a cada etapa da pandemia. Sérgio Costa afirma que a unidade está preparada para atender os pacientes.

“Nós temos vagas, nós temos oito leitos disponíveis. Por outro lado, nós temos equipamentos, respiradores de reserva. Nós temos um índice de segurança técnica pra dar as respostas.”

Já o secretário-adjunto de Assistência em Saúde do DF disse que a capital recebeu 50 novos ventiladores pulmonares, que já foram distribuídos para a rede de saúde. Ele afirma que é difícil aumentar o número de UTIs completas, mas que o importante é garantir leitos com ventilação mecânica.

“A gente está chegando no pico. A primeira semana de julho é a pior, a procura vai aumentar, mas todas as ações foram para a gente se preparar. Não serão dias fáceis”, diz Ricardo Tavares.

Por G1 Brasília com informações de Sueli Moitinho do Painel da Cidadania

Foto Reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui