Prestação de serviço e cidadania para melhor qualidade de vida

Ação da Secretaria de Segurança, em parceria com outros órgãos do GDF, está em Samambaia

877

De longe, parece um pedaço de rapadura. De perto, perigo à vista, muito perigo, uma pedra de crack. Mostrar para a população como identificar os perigos do vício em entorpecentes é o trabalho dos agentes da Polícia Civil que integram o Centro Piloto de Educação e Prevenção ao Uso de Drogas e Violências.

Para ajudar nessa tarefa é usado o museu itinerante da corporação, um ônibus adaptado para a educação de combate às drogas e à violência, que nesta semana está estacionado atrás da Feira Permanente de Samambaia.

Essa é uma das atrações do projeto Cidade da Segurança Pública, evento realizado com a participação de várias forças de segurança do DF ligadas ao programa SSP DF Mais Seguro, que acontece até sábado (31) naquela cidade e oferece vários serviços.

Dezenas de moradores de Samambaia buscaram os atendimentos das polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Detran, Administração Penitenciária e Polícia Rodoviária Federal. O mutirão contou também com os préstimos da Secretaria da Mulher (SM), DF Legal, BRB, Serviço de Limpeza Urbana (SLU), Caesb, Neoenergia BSB e Sesi-DF.

Os estandes mais visitados na manhã desta quinta-feira (29) foram o do Detran e o da Polícia Civil. O servidor público Eduardo Andrade, 40 anos, por exemplo, providenciou os RGs do casal de filhos, um com sete anos e outro com 11.

“Com seis anos de idade já é interessante as crianças tirarem o RG por conta de viagem, evita de ficar andando com um monte de papelada, documentos que podem se perder”, comenta. “Bem bacana essa ação, a população precisa muito, tanto que nem consegui marcar para hoje devido à grande procura”, conta.

Já a aposentada Maria Delva Feliciano, 65 anos, resolveu pendências com o Detran. Em poucos minutos, ela colocou em dia o licenciamento do carro e renovou a identidade. “Vou fazer uma viagem ao exterior e é exigido que o RG tenha no mínimo dez anos. Como a minha já era antiga, aproveitei que estava aqui e resolvi tudo”, relata.

“No dia a dia, fica bem difícil de resolver essas coisas, fiquei sabendo desse evento e foi uma mão na roda, rapidinho revolvi minhas coisas. O GDF está de parabéns por essa iniciativa, podia ter mais vezes por ano, muita gente saiu daqui como eu, com sensação de alívio”, diz Maria Dalva.

“Este é um projeto itinerante com características que vão ao encontro da orientação do governador Ibaneis Rocha, de se fazer um governo cada vez mais horizontal e próximo da população. Esta proximidade se estende aos agentes de segurança pública da região escolhida para receber a ação”, observa o secretário de Segurança Pública, delegado Júlio Danilo.

Qualidade de vida

As últimas edições da ação foram em Planaltina e Ceilândia. A ideia é que as ações do Cidade da Segurança Pública  sejam regulares, a cada 45 dias. O próximo encontro será no Gama, em setembro. A magnitude de um evento como esse, de acordo com o subsecretário de Prevenção à Criminalidade, Sávio Ferreira, é norteado por pesquisas sobre os índices criminais de uma RA.

“Ofertamos serviços e ações que sejam consideradas de prevenção à criminalidade. A gente entende que a melhoria dos índices passa por melhor qualidade de vida. Então, é importante atividades que promovam a identificação das pessoas, além de palestras motivacionais falando sobre a violência doméstica e familiar, além de orientações de trânsito”, explica Ferreira.

Conscientização

Teatro e palestras também fizeram parte das atrações. Tia da pequena Luíza, Meire Jeane dos Santos, 34 anos, fez questão que ela assistisse a uma pequena peça sobre conscientização no trânsito, realizada pelo Detran. “Acho importante os pequenos aprenderem sobre o tema desde cedo”, avalia a atendente. “Ela reclama muito, não gosta de usar cinto ou andar na cadeirinha, agora aprendeu a necessidade dessas proteções”, garante.

A PM, por meio do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), também distribuiu materiais explicativos, como cartilhas, panfletos e adesivos, acompanhados de brindes, como camisetas e bonés. Para o Sargento Marcos Ferreira, o trabalho de conscientização e prevenção é fundamental no combate às drogas e à violência doméstica e no trânsito. “Desde 1998 fazemos esse trabalho de conscientização com as crianças nas escolas públicas e particulares, ações como essas ajudam a aproximar a sociedade da PM”, comenta.

Por Agência Brasília com informações de Sueli Moitinho

Foto:  Acácio Pinheiro/Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui