19/09/2021 19:05:18
Início Notícias Brasil Chácara no Guará recebe selo de Boas Práticas Agropecuárias

Chácara no Guará recebe selo de Boas Práticas Agropecuárias

Produtores rurais da Chácara Santa Rita, que produzem e comercializam os produtos Charita Hortifruti, receberam nesta quarta-feira (1º de setembro) o certificado do Programa de Boas Práticas Agropecuárias – Brasília Qualidade no Campo. O documento foi entregue pessoalmente à produtora Ozana Gonçalves Reis, 84 anos, pelo secretário da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural do Distrito Federal (Seagri-DF), Candido Teles, e pela presidente da Emater-DF, Denise Fonseca.

“Esse selo representa um ganho no valor do produto, representa qualidade no plantio, colheita e pós-colheita das hortaliças. E isso reflete diretamente no meio ambiente e na saúde dos trabalhadores rurais, agricultores e dos consumidores”Denise Fonseca, presidente da Emater-DF

Agora, os produtos da Charita Hortifruti, que incluem verduras e hortaliças in natura ou higienizados, picados e embalados, poderão ser comercializados com o selo de BPA na embalagem. Atualmente, os produtos, produzidos com acompanhamento da Emater-DF, são comercializados em mercados, restaurantes e feiras no Distrito Federal.

“Esse selo representa um ganho no valor do produto, representa qualidade no plantio, colheita e pós-colheita das hortaliças. E isso reflete diretamente no meio ambiente e na saúde dos trabalhadores rurais, agricultores e dos consumidores”, lembrou a presidente da Emater ao entregar o certificado.

15 anos de Assistência Técnica e Extensão Rural

A chácara, que fica na Região Administrativa do Guará, produz hortaliças desde 1967. O trabalho da Emater-DF na propriedade começou em 2005. De lá para cá, a empresa presta assistência técnica agrícola, auxílio na agroindústria da família, oficinas sobre boas práticas agrícolas e apoio na comercialização. Foi por meio da Emater-DF que a Charita foi incluída no circuito de feiras rurais e no site Põe na Cesta.

Todo o trabalho de orientação sobre os procedimentos e adequações necessárias à concessão do certificado foram feitos pelo escritório da Emater-DF de Vargem Bonita. Esta foi a segunda propriedade da região a receber o documento – a primeira foi a da produtora Lúcia Sujii, localizada no Riacho Fundo.

Orgulho familiar

Para Ozana, receber o selo é um momento de orgulho a toda a família, já que todos se envolvem com a Charita Hortifruti, alguns diretamente, outros ajudando de vez em quando. “Estou muito feliz porque essa chácara aqui é da minha família, que é a coisa mais importante da minha vida”, agradeceu Ozana.

Depois de visitar a propriedade, o secretário Candido Teles destacou o trabalho da Emater e elogiou a família que administra a produção e a agroindústria do local. “Minha alegria de vê-la recebendo este certificado é muito grande. Quero parabeniza-la pelas instalações. Podemos ver que aqui tudo é feito com amor, e o amor vence tudo. A senhora é um exemplo de vida”, disse, referindo-se à matriarca.

Selo de BPA

A partir do momento em que o produtor consegue o certificado, o selo de BPA pode ser fixado na embalagem de todos os alimentos cultivados na propriedade. O selo vem com um número que identifica a propriedade rural certificada. No caso da Charita, o número de identificação é 0029. O certificado é concedido pela Secretaria de Agricultura do DF.

Antes da concessão, são realizadas auditorias na propriedade por servidores da Emater-DF, da Seagri, da Ceasa e da Vigilância Sanitária, órgão da Secretaria de Saúde. Após o primeiro ano de certificado, quando vence o primeiro prazo de validade, é realizada nova auditoria. Depois, o certificado passa a valer por dois anos, conforme explicou a extensionista da Emater-DF Ana Paula Rosado.

Trabalho na Charita

Para auxiliar no processo de obtenção do selo de Boas Práticas, entre 2020 e 2021, a Emater-DF realizou orientações sobre legislação para implantação de normas e registro sanitário, apoiou na implantação do Manual de Boas Práticas de Fabricação (BPF), fez capacitação em Boas Práticas (curso essencial para implantação e funcionamento de uma agroindústria), intensificou o trabalho de assistência técnica na área agrícola e agroindústria e auxiliou na rotulagem nutricional dos alimentos (realizado pela equipe de nutricionistas da empresa).

Com boa parte das questões já aplicadas, os extensionistas fizeram a aplicação de checklist e orientações para adequação das normas de certificação em BPA. Também foram realizadas oficinas de rastreabilidade na propriedade e de agroecologia e bioinsumos.

*Com informações da Emater-DF

Por Agência Brasília com informações de Sueli Moitinho

Foto: Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments