Campanha combate a intolerância racial no comércio

A ideia é que, com a iniciativa da Sejus, população possa utilizar as redes sociais para enfrentar as injustiças cometidas contra grupos sociais mais vulneráveis

122

No Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial, comemorado nesta segunda-feira (21), a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), pasta responsável pelas políticas de igualdade racial no DF, lança um vídeo de combate ao racismo no comércio, que pode ser conferido nas redes sociais da secretaria.

“Quando falamos em eliminação da discriminação racial, queremos dizer que todos os tipos de intolerância relacionados a etnia ou cor de pele devem ser combatidos com afinco” — Marcela Passamani, secretária de Justiça e Cidadania

A ideia é que a população também possa utilizar as redes sociais como instrumento contra as injustiças de que são alvo os grupos sociais mais vulneráveis, abrindo, dessa forma, caminhos para o surgimento de conversas sadias e respeitosas no ambiente de trabalho, em casa e nas escolas.

“Quando falamos em eliminação da discriminação racial, queremos dizer que todos os tipos de intolerância relacionados a etnia ou cor de pele devem ser combatidos com afinco. A data reforça essa luta contra o preconceito e o racismo em todo o mundo. Para que possamos ressaltar a importância de reconhecer os direitos humanos para todos e todas”, explica a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani.

Contextualização histórica

A data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU), em memória das vítimas do Massacre de Shaperville, África do Sul. Há 62 anos, tropas do exército abriram fogo contra uma população de aproximadamente 20 mil sul-africanos que protestavam pacificamente contra a institucionalização do apartheid, deixando 69 pessoas mortas, mais outras 186 feridas.

“Não queremos que o racismo nos vença aqui nem em nenhum outro lugar do mundo. Sigamos nos inspirando nos nossos melhores exemplos” — Juvenal Araújo, subsecretário de Políticas de Direitos Humanos e Igualdade Racial da Sejus

“Quando penso em África do Sul, me vem a figura grandiosa de Nelson Mandela. Mesmo diante de tanta desumanidade, Mandela respondeu à sociedade com seu ativismo pela paz. Não queremos que o racismo nos vença aqui nem em nenhum outro lugar do mundo. Sigamos nos inspirando nos nossos melhores exemplos”, destaca o subsecretário de Políticas de Direitos Humanos e Igualdade Racial da Sejus, Juvenal Araújo.

A Sejus também enfatiza a importância da educação de crianças e adolescentes, para que não reproduzam o racismo recreativo ou estereótipos negativos relacionados aos negros e haja o incentivo de pais e professores sobre a equidade proporcional de negros e negras.

São vários canais abertos para denúncia contra casos de racismo, injúria racial ou intolerância religiosa. Veja como isso pode ser feito no DF:

• Disque 100 (Disque Direitos Humanos)
• Ligue 156, Opção 07 (Disque Racismo do Distrito Federal)
• Ligue 162 ou acesse Ouvidoria-Geral do GDF
• Para denunciar pessoalmente, dirija-se à Ouvidoria da Sejus na Estação Rodoferroviária – SAA (das 9h às 12h e das 13h às 18h) ou Ouvidoria próxima à região
• Procure a Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual ou contra Pessoa Idosa ou com Deficiência (Decrin). Contato: Departamento de Polícia Especializada (DPE) – Complexo da Polícia Civil, ao lado do Parque da Cidade. Telefone: 3207-4242
• Acione o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) para oferecimento de representação pelo e-mail: ned@mpdft.mp.br
• Acione a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos, Cidadania, Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Legislativa do DF (CLDF) pelo e-mail direitoshumanos@cl.df.gov.br
• Acione o Conselho Distrital de Promoção da Igualdade Racial (Codipir) pelos e-mails codipir@sejus.df.gov.br ou subdhir@sejus.df.gov.br.

*Com informações da Secretaria de Justiça e Cidadania do DF

Por Agência Brasília com informações de Sueli Moitinho

Arte: Sejus-DF

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui