Distribuição desigual dos recursos eleitorais

Candidatos a federal levaram entre R$ 183 mil e R$ 74 mil e outros até o limite máximo

105

As direções partidárias estão, todas elas, fazendo distribuições extremamente desiguais entre seus candidatos no Distrito Federal. Obedecem, claro, a uma lógica. Quem disputa eleição majoritária precisa de mais recursos. E, entre os proporcionais, peso maior é dado aos candidatos a deputado federal, pois bancadas maiores na Câmara dos Deputados são sinônimos de maior fatia de recursos do fundo partidário. A partir daí investimento mais elevado é feito nos candidatos vistos com chances mais concretas de obter a cadeira. No PSB brasiliense isso pode ser visto com clareza. O partido não disputa eleição majoritária e, quando tinha candidato a governador, Rafael Parente, não lhe deu um centavo. Quem fica com as maiores fatias, R$ 2,5 milhões cada, são o ex-governador Rodrigo Rollemberg e o atual deputado Israel Batista que disputam a Câmara. A seguir, três outros candidatos a federal, que levaram entre R$ 183 mil e R$ 74 mil. Já para distrital, a maior dotação foi para duas candidatas, a socióloga Rayssa Rossiter e a ambientalista Thaynara Rodrigues, com R$ 83 mil cada uma.

Vale para o PT

Uma demonstração desse tipo de preferência pode ser dado pelo PT. Candidata à reeleição, a deputada federal Érika Kokay já recebeu 50% mais do que Rosilene Corrêa, que disputa o Senado. Ex-presidente do partido, Roberto Policarpo um sexto da dotação de Érika, Vanessa é o Bicho um sétimo e a drag queen Ruth Venceremos, pouco mais de um décimo. O ex-governador Agnelo Queiroz, impugnado, ficou sem nada. Para distrital, quantias bem menores. O veteraníssimo Chico Vigilante precisaria multiplicar por treze a verba recebida para chegar ao que Érika recebeu. Para comparar, Ana Prestes, a neta do histórico Luiz Carlos Prestes, que na mesma coligação tenta se eleger federal, teve do aliado PCdoB um doze avos da dotação de Érika.

Eleições nas cidades

Candidata a governadora pelo PSOL, Keka Bagno levantou uma bandeira que já foi de Rodrigo Rollemberg, quando senador. Quer algum tipo de escolha direta dos administradores regionais. Precisamos, diz ela, de “que a população daquele território decida quem vai ser o administrador”. Propõe, inclusive, “que sejam pessoas também que morem há pelo menos cinco anos naquele território”. Só para lembrar, Rollemberg assumiu o governo com essa bandeira, bancou propostas legislativas nesse sentido, mas deixou o Buriti sem conseguir implementar a medida, em grande parte devido ao artigo 32 da Constituição, que veda a divisão do Distrito Federal em municípios.

Cão patriota

Uma ampla lista de candidatos a deputado pelo Distrito Federal aposta no apelo e no carisma dos pets durante a campanha deste ano. Estão na lista Bia Kicis, Fátima Sousa e Julia Lucy, que divulgam fotos com cachorrinhos, o distrital Daniel Donizet, que faz eventos cheios de bichos, e inclusive militantes que adotaram nomes eleitorais inspirados nos pets, como Vanessa É O Bicho ou Carol dos Animais. Agora, até a deputada Celina Leão, a vice de Ibaneis, encantou-se com um cãozinho treinado que encontrou durante um bandeiraço. Publicou a imagem do bichinho vestido a caráter e prestando continência.

Ibaneis define propostas para hospitais

O governador Ibaneis Rocha definiu como prioridades a conclusão de quatro hospitais no início do novo mandato, caso se reeleja. “Vamos entregar o Hospital Oncológico Dr. Jofran Frejat, que já está em construção; e irei entregar ainda um hospital no Recanto das Emas, um em São Sebastião e um Hospital de Traumas no Guará”, promete. A construção dessas novas unidades, acredita Ibaneis, “irá desafogar os atendimentos nos hospitais já existentes, dando celeridade ao processo e mais conforto a quem precisa utilizar esses serviços”.

Benício fica de fora

Ex-presidente da Câmara Legislativa, Benício Tavares teve aceito pedido de impugnação pelo Tribunal Regional Eleitoral à sua candidatura a distrital, inscrita pelo Patriotas, o antigo PEN. Em seu voto, o relator Renato Coelho, destacou que a documentação prova condenação por prática de ato doloso de improbidade administrativa que importou em enriquecimento ilícito e dano ao erário. Também estão de fora outros ex-deputados, como Júnior Brunelli, Maria Antonia e cabo Patrício, e o ex-senador Hélio José, além do ex-governador Agnelo Queiroz. Todos podem recorrer e, até resposta do recurso, permanecer em campanha.

Posse no Clube de Engenharia

O Clube de Engenharia de Brasília empossa sua nova Diretoria às 19h desta sexta-feira, 16. Assume a direção o engenheiro Artur Milhomem Neto, tendo como vices Celso Roberto Machado Pinto e David José de Matos. A cerimônia de posse acontecerá na sede do Clube, no Setor de Clubes Sul, Conjunto 35, Parte 1.

Por Eduardo Brito do Jornal de Brasília com informações de Sueli Moitinho

Foto: Agência Brasil EBC

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui