Pesquisa Correio/Opinião aponta para segundo turno na corrida ao GDF

Na corrida ao Palácio do Buriti, Ibaneis Rocha mantém liderança, mas Paulo Octávio, Leandro Grass ou Leila do Vôlei podem levar a disputa para 30 de outubro

111

A sete dias das eleições, a fotografia da disputa ao Palácio do Buriti mostra um cenário incerto. Na terceira rodada da pesquisa Correio/Opinião, o governador Ibaneis Rocha (MDB) continua na frente, mas teve uma oscilação negativa, dentro da margem de erro. Caiu de 42,8% das intenções de votos para 41,2%, na abordagem estimulada, quando um cartão com os nomes dos candidatos é apresentado ao eleitor.

A sete dias das eleições, a fotografia da disputa ao Palácio do Buriti mostra um cenário incerto. Na terceira rodada da pesquisa Correio/Opinião, o governador Ibaneis Rocha (MDB) continua na frente, mas teve uma oscilação negativa, dentro da margem de erro. Caiu de 42,8% das intenções de votos para 41,2%, na abordagem estimulada, quando um cartão com os nomes dos candidatos é apresentado ao eleitor.

Entre os que não souberam avaliar, o percentual, que era de 6,9%, agora é de 5,9%. Disseram que vão votar em branco ou nulo 11,2%. Na rodada anterior, eram 14%.

Cenário da pesquisa espontânea

Na pesquisa espontânea, Ibaneis tem 35,4%. Na rodada anterior, o percentual dos entrevistados que o apontaram como candidato da preferência era de 31,9%. Paulo Octávio e Leandro Grass também cresceram. PO tinha 5,6% e passou para 7,9%. Grass tem 7,7%. Ele tinha 3,4%.

Leila do Vôlei tinha 2,7%. Agora tem 3,6%. Izalci Lucas aparece com 2,1%. Era 1,4%. Keka Bagno saiu de 0,1% para 0,3%.

Somam 26,9% os entrevistados que não sabem avaliar e 11,7% vão votar em branco ou nulo. Antes eram 42,1% e 9,8%, respectivamente.

Votos válidos

Considerando-se os votos válidos, Ibaneis tem 49,6%. Paulo Octávio, 15,9%. Leandro Grass e Leila Barros têm 12,1%, cada. Izalci Lucas soma 4,6%.

Em seguida, estão Coronel Moreno, com 2,4%; Lucas Salles, com 1,5%; Keka Bagno, com 1,4%; Teodoro da Cruz, com 0,2%; e Robson, com 0,1%.

Os votos válidos são a proporção da votação, excluindo-se os nulos, brancos e abstenções. Vence o pleito quem tiver 50% mais um dos votos válidos.

Segundo turno

Nas simulações de segundo turno, Ibaneis Rocha vence em todos os cenários testados. Ibaneis teria 52,2% contra Paulo Octávio, com 32,1%. Leila do Vôlei chegaria a 30,9%, contra 53,3% de Ibaneis.

Com Leandro Grass, o governador teria 57,9% e o candidato da federação PT-PV-PCdoB, 24,1%. Na disputa com Izalci Lucas, o tucano alcançaria 24,8% e Ibaneis, 58,7%.

Com Leandro Grass, o governador teria 57,9% e o candidato da federação PT-PV-PCdoB, 24,1%. Na disputa com Izalci Lucas, o tucano alcançaria 24,8% e Ibaneis, 58,7%.

Convicção

A pesquisa Correio/Opinião mediu também o grau de convicção do cidadão em relação a seus candidatos. Os eleitores de Ibaneis e de Leandro Grass são os mais seguros e com menos chance de mudar. Entre os eleitores do governador que concorre à reeleição, 67,9% disseram que já estão decididos e não pretendem mudar de posição e 16,5% afirmaram que podem optar por outro candidato.

Na consulta sobre Grass, 65,2% já se decidiram e vão permanecer nessa opção. Outros 18,7% afirmaram que ainda podem trocar. No caso de Paulo Octávio, os percentuais são 47,4% de quem já está decidido e 22,1% de quem não tem total certeza do voto. Em relação a Keka Bagno, os percentuais são 39,9% e 43,9%.

Entre os eleitores de Leila do Vôlei, 39,5% afirmam que não mudarão o voto e 31,1% poderiam alterar. No caso de Izalci Lucas, os percentuais são 36,9% e 34,1%. Lucas Salles tem 21% de eleitores já definidos e 14,6% que disseram que ainda podem mudar o voto.

No geral, 51,7% garantiram que já estão decididos e não pretendem mudar. Enquanto isso, 26,1% ainda estão indecisos em quem votar; 19,4% ainda não estão decididos e podem mudar e 2,9% não sabem avaliar.

Rejeição

A terceira rodada da pesquisa Correio/Opinião também indicou a rejeição aos candidatos ao governo, o nível de conhecimento e o potencial de votos, ou seja, de crescimento neste momento da reta final da campanha.

O governador Ibaneis Rocha tem rejeição de 34,4% e 64,5% de potencial de votos. Paulo Octávio aparece em segundo, com 49,9% de potencial de votos e 48,3% de rejeição. Leila do Vôlei tem rejeição de 49,3%, Izalci Lucas, 60,7%; Leandro Grass, 65,8% e Keka Bagno, 78,8%

No quesito potencial de votos e crescimento, Leila Barros tem 48,6%; Izalci Lucas, 34,5%; Leandro Grass, 28,9% e Keka Bagno, 13,9%.

Ibaneis é o mais conhecido. Na consulta, 80,5% disseram que o conhecem bem ou mais ou menos. Paulo Octávio está na casa de 64,6% de conhecimento, Leila do Vôlei, 55,9%, e Izalci Lucas, 43,7%.

Na semana final do primeiro turno, Leandro Grass e Keka Bagno ainda são figuras desconhecidas. Grass é conhecido por menos de um quarto dos eleitores: apenas 23,6% dizem conhecê-lo. Keka é ainda mais desconhecida. Apenas 8,8% disseram que sabem quem ela é. Mas a candidata do PSol-Rede cresceu. Na rodada anterior, ela era familiar para 6,7%. Mas foi Grass quem mais subiu nesse quesito. O candidato da base do ex-presidente Lula era conhecido por apenas 14% na rodada anterior.

Maioria aprova atual gestão

Uma vantagem para o governador Ibaneis Rocha (MDB) é a avaliação à sua gestão. A pesquisa Correio/ Opinião indica que 52,3% aprovam o atual governo. Esse percentual era de 54,4% na rodada anterior, publicada em cinco de setembro.

Entre os entrevistados, 38,2% desaprovam o governo Ibaneis. Antes eram 36,4%. Não sabem avaliar somam 8,1% e 1,4% não responderam.

A soma dos percentuais das avaliações ótima e boa a respeito do governo de Ibaneis Rocha atingiu o patamar dos 34%. Em relação à rodada anterior, não houve mudança. Eram 33,9%.

Para 43,5%, o governo Ibaneis é regular e 21% avaliam como ruim ou péssimo. Na rodada anterior, os números eram 41,9% e 22,3%, respectivamente.

Ao serem questionados sobre os méritos de Ibaneis, 52,1% avaliam que o governador merece ser reeleito, contra 43,6% que acham que ele não merece.

Nota técnica

Pesquisa registrada no TSE sob o número DF-09779/2022, encomendada pelo Correio Braziliense. Correio/Opinião foi a campo entre 22 e 24 de setembro, com 1.099 entrevistas presenciais. A margem de erro estimada é de 3,1 pontos percentuais para mais ou para menos, com um intervalo de confiança de 95%.

Por Ana Maria Campos do Correio Braziliense com informações de Sueli Moitinho

Foto: Revista Pode UOL

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui