Em podcast, prefeito de Rio Branco critica Moraes e defende intervenção militar

Apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL), Bocalom disse que os “prefeitos não serão destituídos” no caso de uma intervenção militar

79

O prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (PP), viralizou nas redes sociais nesta semana ao defender uma intervenção das Forças Armadas.

“Qual o problema? Desde quando os militares não fizeram um grande trabalho nesse País?”, disse em entrevista ao podcast local Papo Informal.

O assunto surgiu quando o prefeito foi questionado sobre os protestos bolsonaristas contra o resultado da eleição. Os manifestantes estão organizados próximo a instalação das Forças Armadas em diferentes Estados e pedem intervenção dos militares

O prefeito disse que é a favor dos protestos. “O direito de manifestação tem que existir. Eu sou a favor de deixar que as pessoas se manifestem. Não estão quebrando nada. Não estão fazendo nada de errado”, defendeu.

Apoiador declarado do presidente Jair Bolsonaro (PL), Bocalom disse que os “prefeitos não serão destituídos” no caso de uma intervenção militar. “Depende da forma com que vai ser tratado”, acrescentou.

O prefeito afirmou ainda a ditadura militar (1964-1985) foi um “milagre brasileiro”. “Esse País é o que é porque os militares entraram”, defendeu. “Foi na época dos militares que a economia brasileira explodiu.”

Bocalom também criticou o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), e a decisão que mandou bloquear contas bancárias de pessoas e empresas sob a justificativa de evitar o financiamento de atos antidemocráticos. O prefeito disse que o ministro está “exagerando”. “Isso é pior que Cuba. Um homem sozinho está mandando nesse País. Eu não concordo”, afirmou.

Com a palavra, o prefeito

A reportagem entrou em contato com o prefeito para comentar as declarações dadas ao podcast e aguarda resposta. O espaço está aberto para manifestação.

Estadão Conteúdo

Por Redação do Jornal de Brasília com informações de Sueli Moitinho

Foto: Reprodução Noticias ao Minutos Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui