Chega ao fim o campeonato de futebol dos Adeboleiros

A final foi entre o time da Arábia Saudita, da Polícia Civil, contra o time da Polícia Federal, representando a Gana

177

A Copa do Mundo do Qatar 2022 está na reta final, mas para os Adeboleiros , a disputa pela taça acabou neste sábado, 10 de dezembro. Depois de quatro meses de campeonato, a Associação dos Delegados da Polícia encerrou a sua décima quarta edição, chamada Adeboleiros Qatar 2022. O time ganhador do campeonato de Adeboleiros, foi a Arabia Saudita da Policia Civil, que tem como membro Francisco Saraiva, o veterano do torneio, com 66 anos.

Segundo o doutor Amarildo Fernandes, presidente do clube Adepol, a cada ano, os Adeboleiros dão um título para o torneio. “Em 2009, foi o campeonato candango. Depois fizemos a Premier League. Esse ano, foi em homenagem a copa do mundo do Qatar”, elaborou.

A final foi entre o time da Arabia Saudita, da Polícia Civil, contra o time da Polícia Federal, representando a Gana. Quando perguntado pelo time do Brasil, Amarildo explicou que foram excluídos os times famosos, porque eles já jogaram com esses times em edições anteriores. Dessa vez, escolheram times diferentes, inspirados nas seleções menos ranqueadas que estavam participando da Copa no Qatar este ano.

Com um gol feito pelo goleiro do time, no segundo tempo, a Arabia Saudita conseguiu o título de ganhadora desta edição. Além disso, uma premiação realizada pela Associação, após a disputa, o jogador Francisco Saraiva, ganhou o prêmio de veterano mais antigo de futebol do DF.

“É uma alegria. Futebol sempre foi o meu hobbie. Uma paixão. Tanto é que cruzei com os amigos da Adepol, não sou delegado de ofício, mas consegui um título de sócio para participar desse momento”, afirmou. Saraiva é diretor geral adjunto do Departamento de Trânsito do DF.

Ele considera o campeonato dos adeboleiros, um dos campeonatos mais difíceis do DF. “Aqui é tudo misturado. São jovens de 32 anos até 60. É uma competição difícil, e a gente chegar na final é muito gratificante”. Para ele, o time da Gana honrou o resultado, e jogou contra à Arabia Saudita até o final. “Ganhamos de 1 x 0. É uma honra ser campeão pela Adepol”, declarou.

Amarildo contou que o campeonato é feito anualmente, com a média de 8 times, com delegados e sócios. “Acrescenta-se a eles, os delegados federais, os peritos da Polícia Civil, e ainda um time de juízes”. Para ele, é um sucesso e de uma qualidade enorme. O campeonato conta com equipe de filmagem, programas para manter as pessoas atualizadas sobre o campeonato, e ainda, o locutor Neder Cássio, narrador do campeonato faz dez anos.

O clube da Adepol sempre girou em torno do futebol, como salientou Amarildo. “A gente começou a fazer na metade do ano, essa disputa de pelada que é um torneio informal. E no segundo semestre, um campeonato mais organizado”.

O campeonato conta com a torcida das famílias, que se envolve como se estivessem torcendo para a seleção brasileira na Copa do Mundo. A advogada Josiana de Carvalho, que estava torcendo pela equipe Gana, da Policia Federal, porque o marido, o delegado Ismael Coelho, 57 anos, foi o técnico desse time. “O clima está tenso. Os times estão muito bons”, disse Josiana entre o primeiro e o segundo tempo. “É coisa profissional mesmo, tem tudo, toda a preparação para os jogos”, completou.

Na premiação, além do primeiro e segundo lugar, para Arabia Saudita e Gana, respectivamente, a equipe de Camarões ganhou o troféu de terceiro lugar, depois que ganhou dos Estados Unidos.

Por Jornal de Brasília

Foto: Amanda karolyne/ Jornal de Brasília / Reprodução Jornal de Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui