R$ 1 Bilhão investido em água e esgoto no DF

Presidente da Caesb, Pedro Cardoso, adianta que companhia vai investir mais R$ 2,8 bilhões no segundo Governo Ibaneis Rocha

80

No Distrito Federal, 99% das residências são atendidas com água tratada e 91,77% são ligadas à rede de esgoto. Esses índices foram alcançados ainda em 2021, com 12 anos de antecedência às metas estabelecidas pelo Novo Marco Legal do Saneamento. O resultado foi possível graças aos investimentos realizados pela Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb) entre 2019 e 2022. Foram quase R$ 1 bilhão aplicados na melhoria dos sistemas de abastecimento de água e esgoto, segundo o presidente da Caesb, Pedro Cardoso. Para o próximo mandato do governador Ibaneis Rocha, a Caesb planeja triplicar os investimentos, chegando a mais de R$ 2,8 bilhões. É mais qualidade de vida para toda a população do DF.

AGÊNCIA BRASÍLIA – Quanto a Caesb investiu nos últimos quatro anos?

PEDRO CARDOSO – Entre 2019 e junho de 2022, a Caesb investiu exatos R$ 983.450.384,00, sendo R$ 350,3 milhões no Sistema de Abastecimento de Água e R$ 276,6 milhões no Sistema de Esgotamento Sanitário. Outros R$ 356 milhões foram investidos em operações de melhoria, na expansão da infraestrutura, no aumento da eficiência e na manutenção dos sistemas de tratamento de água e de esgoto. Investimentos ainda em programas de redução de perdas, além de aquisições e instalação de equipamentos.

AB – Quanto a Caesb pretende investir nos próximo Governo Ibaneis Rocha?

PC – A Caesb planeja investir R$ 2,83 bilhões na execução de projetos de expansão dos sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário, tais como: a ampliação do sistema Brazlândia; a implantação de adutora e elevatória do Sistema Corumbá para o Sistema Paranoá Sul; e a ampliação das estações de tratamento de esgoto Melchior, Sul e Planaltina.

AB – Quais foram as principais obras de esgotos realizadas entre 2019 e 2022?

PC – Em 2019, começamos a executar diversas obras de esgotamento sanitário em diversos locais, como no condomínio Entre Lagos, no Setor de Mansões Sobradinho e no Sol Nascente. Em 2020, podemos destacar a implantação de redes e estações elevatórias em Sobradinho, as melhorias no sistema de vazão da estação Melchior e a ampliação do sistema de esgoto do Setor de Clubes Esportivos Sul. Em 2021, destacamos a implantação do sistema sanitário da Região dos Lagos no Itapoã e Paranoá, no Trecho II do Sol Nascente/Pôr do Sol e na Colônia Agrícola Sucupira no Riacho Fundo. Em 2022, foi concluído os sistemas do Setor de Mansões Park Way (quadras 1 a 5), Colônia Agrícola Águas Claras, Vila IAPI e Colônia Agrícola Bernardo Sayão. Foram implantados 131 mil metros de redes e duas elevatórias, que conduzirão o esgoto coletado até a ETE Melchior. Outra importante realização: a implantação do sistema de esgotamento sanitário no Sol Nascente (Bacia E), beneficiando cerca de 19 mil habitantes, com investimento de R$ 12 milhões.

AB – A Caesb tem trabalhado para atingir as metas do Novo Marco Legal do Saneamento Básico?

PC – O novo Marco Legal prevê que até 31 de dezembro de 2033 os índices de universalização dos serviços alcancem 99% de atendimento de água e 90% de atendimento de esgoto. Ainda em 2021, com larga antecedência a Caesb atingiu as metas de universalização exigidas pelo novo Marco Legal. Atualmente, chegamos 99% de atendimento de água e 91,77% de atendimento de esgoto.

AB – Como foi possível atingir esses resultados?

PC – Desde 2019 estamos fazendo investimentos constantes para atender ao crescimento populacional do DF. Conseguimos ampliar em 1,3 mil quilômetros as redes de água e esgoto. Aumentamos o atendimento em 38.992 ligações de água e 60.818 ligações de esgotamento sanitário. Além disso, ampliamos a população beneficiada com a tarifa social para 26.737 ligações ativas de água cadastradas.

AB – A Caesb planeja ampliar o alcance do Sistema Produtor de Corumbá?

PC – Sim. Em 2022, depois de superarmos alguns problemas que por anos atrasaram a obra, conseguimos entregar esse sistema, que hoje abastece com água tratada 1,3 milhão de pessoas em quatro cidades da região sul do DF (Santa Maria, Gama, Recanto das Emas e Riacho Fundo II) e em quatro municípios goianos (Luziânia, Valparaíso de Goiás, Cidade Ocidental e Novo Gama). Agora trabalhamos para consolidar o abastecimento em outras áreas, como o Setor Habitacional Ponte de Terra e o Setor Meirelles. Indiretamente, toda a parcela oeste do DF e a cidade de Águas Lindas de Goiás também serão beneficiadas com a geração de excedentes no Sistema Descoberto.

AB – O que a Caesb tem feito para garantir que o meio ambiente seja respeitado?

PC – Temos diversos projetos, como o Expresso Ambiental. É um ônibus que transporta uma maquete de seis metros sobre ciclo do saneamento, mostrando desde a captação de água até a devolução do produto tratado. Também recebemos estudantes e empresas que desejam conhecer o processo de tratamento de água e esgoto. Além disso, realizamos palestras de educação ambiental com foco no ciclo do saneamento e no uso consciente da água. Atuamos também junto a empresas para estimular o descarte ambientalmente correto de materiais. Em 2022, foram coletados 10.150,65 kg de resíduos laboratoriais, 18.720 kg de tubos e peças contaminados por esgoto, 3.860 unidades de lâmpadas inteiras, 19,85 kg de cacos de lâmpadas quebradas, além de 21 kg de pilhas.

*Colaboração: Assessoria de Comunicação da Caesb

Por Agência Brasília

Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui