Distritais, GDF e comunidade escolar debatem soluções para a violência nas escolas

A audiência também contará com as presenças dos secretários Sandro Avelar (Segurança Pública) e Hélvia Paranaguá (Educação)

73

Deputados distritais, representantes dos órgãos de Segurança Pública e da Secretaria de Educação do GDF, especialistas e profissionais da Educação e a comunidade escolar discutem, nesta segunda-feira (24), uma série de ações para viabilizar o enfrentamento da violência pública nas escolas e fortalecer políticas públicas da cultura de paz. O encontro acontecerá no Auditório da Escola Parque da 303/304 Norte, a partir das 19h. “É imprescindível que toda a comunidade escolar discuta e busque instrumentos para conviver com os conflitos, desenvolva relacionamentos de forma saudável e crie um ambiente escolar construtivo e sustentável”, afirma o presidente da Comissão de Educação, Saúde e Cultura da CLDF, Gabriel Magno (PT).

A Escola Parque foi escolhida para receber a audiência por representar um modelo implantado na criação da Cidade e que pode ser retomado como uma via para a diminuição da violências nos ambientes escolares. “O grande problema no País não é a violência nas escolas, mas a violência contra as escolas, infelizmente estimulada nos últimos anos, com a pregação de invasão dos espaços e do constrangimento aos professores”, diz Gabriel.

O deputado propôs a reunião por entender que as soluções até então apresentadas para a solução dos conflitos, como a instalação de detectores de metais e a ampliação de segurança armada, estão longe de representar fim aos problemas. As propostas que estão sendo formuladas já foram adotadas em outros países e deram errado, como o investimento pesado em policiamento nas escolas”, afirma o parlamentar.

Segundo ele, o policiamento não diminuiu ataques, como os que acontecem com maior frequência nos Estados Unidos. “Pelo contrário, aumentou o número de casos. A solução não é essa. Precisamos retomar o modelo de escola pública inicial na cidade, como o modelo das escolas parques”, defende.

Na audiência pública ,haverá o relançamento da campanha “Quem bate nas escolas bate em muita gente”, de iniciativa do Sindicato dos Professores do DF (Sinpro).Entre os objetivos da campanha está a denúncia de que a desvalorização e o descaso com a educação pública são fatores que geram violência nesses espaços.

De acordo com Gabriel, as medidas de enfrentamento à violência devem levar em consideração a legislação brasileira, como o Plano Nacional de Direitos Humanos, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira, o Plano Nacional de Educação e a Lei distrital 4.626/11, que institui o Programa de Promoção da Cultura de Paz nas Escolas. “Aumentar o número de armamentos dentro do ambiente escolar não vai diminuir as ocorrências”, argumenta.

Além dos deputados distritais, a audiência contará com as presenças dos secretários Sandro Avelar (Segurança Pública) e Hélvia Paranaguá (Educação).

Por Redação do Jornal de Brasília

Foto: Agência Brasília/GDF / Reprodução Jornal de Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui