Mais de 100 educadores sociais passam por capacitação

Objetivo é integrar as equipes e promover um alinhamento técnico para que os 105 profissionais que atuam no serviço de convivência na Sedes sigam as novas diretrizes estabelecidas pelo governo federal

72

Servidores da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) que atuam no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (Cecon) de Sobradinho, Paranoá, Planaltina e São Sebastião participaram nesta segunda-feira (12) de uma capacitação para aprimorar o atendimento dos grupos de crianças, adolescentes, adultos e idosos acompanhados pelas unidades socioassistenciais dessas regiões. O objetivo é integrar as equipes e promover um alinhamento técnico para que todos os educadores sociais sigam as novas diretrizes do serviço estabelecidas pelo governo federal.

Serão, no total, quatro dias de capacitação divididos por regiões para englobar todos os 16 Centros de Convivência e Fortalecimento de Vínculos e Centros de Referência de Assistência Social (Cras) que executam o serviço. Já realizaram treinamento os educadores das regiões de Brazlândia, Ceilândia, Taguatinga, Gama e Santa Maria. Nesta segunda, foi a vez dos cerca de 30 profissionais que atuam na região norte do DF.

Na próxima terça (20), a capacitação se encerra com as equipes do Núcleo Bandeirante, Estrutural, Guará, Recanto das Emas e Riacho Fundo. No total, 105 educadores sociais serão capacitados. Nos encontros, os profissionais passam por dinâmicas de grupo, fazem reflexões sobre serviço e trocam experiências e vivências.

“Fazia muito tempo que encontros como esse não ocorriam. É a partir dessa troca que conseguimos evoluir dentro do processo. Se você não tem troca, desconhece o que o colega faz em outra unidade e fica limitado ao que o grupo em que você está incluído produz. Sempre a troca de experiências é extremamente importante”, enfatiza o educador social Eduardo Carvalho, que atua no Cecon Planaltina.

Segundo o assessor da Diretora de Convivência e Fortalecimento de Vínculos da Sedes, Bruno Cezar Alves de Oliveira, essa capacitação é uma oportunidade de os educadores sociais passarem por uma atualização, que também é importante para os novos servidores que entraram no último concurso.

“Nós fizemos visitas técnicas em todas unidades. Foi com base nessas visitas que identificamos a necessidade de fazer esse alinhamento. Uma das demandas que percebemos foi que havia educadores que ainda trabalhavam por especialidades, como era há alguns anos, não seguiam esse formato de trabalhar com os grupos por percursos, que são atividades planejadas no âmbito do serviço de convivência”, explica o assessor.

“A intenção é fazer um alinhamento entre os educadores da nova e da antiga geração para que todos os educadores sociais trabalhem no mesmo formato. Também é uma oportunidade de eles reverem os colegas, conhecer outras unidades, trocarem experiências e fortalecer o vínculo dentro da própria equipe de educadores”, continua.

“A intenção é fazer um alinhamento entre os educadores da nova e da antiga geração para que todos os educadores sociais trabalhem no mesmo formato”Bruno Cezar Alves de Oliveira, assessor da Diretora de Convivência e Fortalecimento de Vínculos da Sedes

Reciclagem

A ideia da capacitação da Sedes é oferecer aos 105 educadores sociais que atuam no Serviço de Convivência uma atualização para que eles desenvolvam as atividades de acordo com os chamados eixos norteadores, estabelecidos pelo governo federal: “Eu comigo”, “Eu com os outros”, e “Eu com a cidade”. São esses três eixos que trazem orientações para os profissionais criarem atividades com os grupos de usuários, de acordo com a faixa etária. Podem ser atividades físicas, de dança, trabalhos manuais, jogos de raciocínio lógico.

São essas atividades planejadas com temática específica que compõem os chamados percursos, que podem ser mensais com tema alusivo a uma data importante, como foi, por exemplo, o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, em 18 de maio. Também há percursos que duram meses. O planejamento depende dos grupos atendidos, das necessidades da comunidade do território. Por isso, os Cecons têm autonomia para desenvolver as atividades de acordo com os seus usuários e as demandas deles.

“O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos tem papel fundamental dentro da política de assistência social na prevenção do risco social, na garantia da autonomia, melhora da autoestima, no fortalecimento dos vínculos com a comunidade e a família. É importante que as atividades sejam planejadas para atender esses objetivos específicos, tem que ter uma orientação. Por isso, capacitações como essa, para atualização e integração dos servidores, são prioridade”, reitera a secretária de Desenvolvimento Social, Ana Paula Marra.

*Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Social

Por Agência Brasília

Foto: Renato Raphael/Sedes / Reprodução Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui