As quatro principais causas de incêndios em prédios no DF

Bombeiros registram aumento nas ocorrências neste ano; saiba como prevenir acidentes

62

Nos três primeiros meses deste ano, houve aumento de incêndios em edifícios do DF. Dados do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) apontam que, enquanto de janeiro a março de 2022 foram registrados 458 episódios dessa natureza, em 2023 esse número passou para 564.

Os incêndios em edificações englobam prédios comerciais, escolares, residenciais, hospitalares e multifamiliares (com duas ou mais residências verticalizadas), entre outras modalidades. As principais causas se dividem em quatro categorias: elétrica, vazamento de gás, inflamáveis e manuseio na cozinha. Como causa extra, aparecem as edificações com o planejamento desatualizado contra incêndios e pânico. 

Segundo o primeiro tenente Dayan Alves Pereira, do Serviço Operacional de Informação Pública do CBMDF, o aumento das ocorrências também pode ser atribuído à influência do período pós-pandemia. “As atividades estavam mais inertes nesse intervalo, então pode ser que a volta aos trabalhos presenciais tenha aumentado as possibilidades de acidentes”, avalia.

Veja abaixo as principais causas identificadas pelas perícias e como se prevenir de cada uma.

Principais causas

Dayan lembra que o tempo de resposta é baixo, mas sempre há danos que podem ser evitados. “Apesar de o atendimento ser rápido, muitas pessoas que conseguem sair ainda precisam de atendimento hospitalar por causa da inalação de fumaça”, relata. “Em ocorrências dessa natureza também é comum encontrarmos corpos de animais e pets carbonizados”.

Em caso de incêndio, reforça ele, é importante ligar imediatamente para o telefone do CBMDF – 193 – e fornecer o endereço, ponto de referência e o tipo de ocorrência.

Projeto de segurança

Na concessão de um imóvel, é necessário ter uma Carta de Habite-se, atestando que o local está dentro das normas do município e que passou pela fiscalização. Condomínios residenciais também são obrigados a ter as saídas de emergência claras, além de extintores bem-colocados e funcionando.

Caso ocorra uma mudança de destinação no edifício, como alterar uma área habitacional para comercial, é necessário que o projeto de segurança contra incêndios e pânico seja novamente submetido à análise e atualização.

Por Agência Brasília

Foto: Divulgação/CBMDF / Reprodução Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui