Eleição para diretores e conselheiros tem grande participação da comunidade

A Comissão Eleitoral Central avaliou de forma positiva os resultados da votação

47

Uma semana importante para as escolas públicas do Distrito Federal. A Secretaria de Educação (SEE-DF) realizou, na última quarta-feira (25), a eleição para a escolha dos novos diretores, vice-diretores e conselheiros escolares. A Comissão Eleitoral Central (CEC) avaliou de forma positiva os resultados da votação, que ocorreu em 695 unidades escolares das 702 participantes. Em seis escolas, inicialmente não houve formação de chapas e em uma delas os candidatos desistiram às vésperas do pleito.

Os novos diretores, vice-diretores e conselheiros tomarão posse em 2 de janeiro de 2024 e permanecerão nos cargos até 31 de dezembro de 2027

Em 60% das escolas, a gestão, os diretores e os vice-diretores permanecerão nos cargos. “Isso mostra que a comunidade escolar aprova a gestão que está sendo adotada na unidade de ensino”, explica Tânia Ávila, presidente da CEC. “A renovação da gestão ficou em 40%, o que mostra que as votações são necessárias”, acrescenta.

O conselho escolar deve ser composto por, no mínimo, cinco e, no máximo, 21 conselheiros, conforme quantidade de estudantes da unidade escolar. Este ano, 44% dos conselhos foram compostos. Os outros 56% deverão ser eleitos em nova votação que deve ser realizada em até 180 dias, contados do dia da votação para recomposição do quadro. Nova eleição também será feita nas escolas onde não houve formação de chapas de diretores e vices e onde os candidatos desistiram.

Foram homologadas 4.488 candidaturas no conselho escolar e 797 chapas concorreram para diretor e vice-diretor. Os novos diretores, vice-diretores e conselheiros tomarão posse em 2 de janeiro de 2024 e permanecerão nos cargos até 31 de dezembro de 2027.

“Após a posse dos candidatos eleitos, diretores, vice-diretores e conselheiros escolares, todos vão participar de um curso de formação obrigatório” Tânia Ávila, presidente da Comissão Eleitoral Central

“Após a posse dos candidatos eleitos, diretores, vice-diretores e conselheiros escolares, todos vão participar de um curso de formação obrigatório em que serão capacitados acerca da administração de recursos públicos como Cartão PDAF, recursos oriundos de emendas parlamentares ou de transferências da União. O curso também abordará a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e outros temas importantes para a gestão escolar”, explica Tânia Ávila.

Impugnação dos resultados

O prazo para impugnação do resultado preliminar das eleições para diretores, vice-diretores e conselheiros vai até 30 de outubro, na própria escola.

*Com informações da Secretaria de Educação

Por Agência Brasília

Foto: Reprodução Agita Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui