Policial lê gibi e acalma crianças que viram pai agredir a mãe no ano-novo

A policial militar Joselle Albuquerque leu histórias para três crianças, que estavam abaladas após verem o pai agredir a mãe durante uma festa de ano-novo

34

Uma policial militar do Distrito Federal se comoveu durante uma ocorrência de violência doméstica no P Sul, em Ceilândia, quando uma mulher foi agredida pelo companheiro durante uma festa de ano-novo. 

Ao chegar ao local para atender o caso, Joselle Albuquerque, do 8º Batalhão de Polícia Militar (BPM), se deparou com três crianças, que estavam abaladas com a briga dos pais. Ao conduzir o suspeito e a vítima para a Delegacia da Mulher, as crianças precisaram ser levadas, pois não havia uma pessoa responsável para cuidar delas. 

Quando chegaram, o homem foi conduzido para dar depoimento e a mulher, levada ao Instituto de Medicina Legal (IML). “As crianças ficaram totalmente apreensivas, tanto pelo pai poder ser preso quanto pelo fato de a mãe não estar perto. Até temos uma brinquedoteca lá (na delegacia), mas eles não conseguiam interagir com os brinquedos, de tão nervosos que estavam com medo de o pai ser preso e vendo a mãe naquela situação”, disse Joselle. 

Na tentativa de confortar as três crianças, a policial militar decidiu ler alguns quadrinhos. “Peguei o gibi e falei ‘vamos ler essa historinha aqui’. Fiz um papel de ‘tia’, sentei as crianças e elas ficaram entretidas, até mudaram a feição. Elas foram entrando na história do gibi da Turma da Mônica e conseguiram esquecer um pouco daquela situação”, relata. 

Joselle comenta sobre a importância de atendimentos humanizados, especialmente em casos de violência doméstica. “O fato de ser mãe pesou bastante. Eu vi naquelas crianças o olhar do medo e do desamparo. Para mim, foi gratificante tentar amenizar o trauma que provavelmente eles vão carregar por ter presenciado os momentos de agressão”, complementa. 

Sobre o caso

A Polícia Militar do DF atendeu uma ocorrência de violência doméstica no P Sul, em Ceilândia, onde ocorria uma comemoração de ano-novo. Ao chegar ao local, a vítima estava com marcas nos olhos, escoriações pelo corpo e o celular havia sido quebrado pelo companheiro. 

Segundo a mulher, o casal estava comemorando na casa de um vizinho e ambos ingeriram bebidas alcóolicas. Em determinado momento, o homem começou a xingá-la e ameaçá-la, até começarem as agressões. 

De acordo com Joselle Albuquerque, até o momento da ocorrência, o homem foi preso em flagrante e a vítima entrou com uma medida protetiva contra o companheiro. Posteriormente, ela retornou para casa com as crianças. 

Por Yasmin Rajab do Correio Braziliense 

Foto: Reprodução/Freepik / Reprodução Correio Braziliense 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui