RenovaDF transforma vida e resgata esperança de pessoas em vulnerabilidade

Programa impactou mais de 7 mil alunos em 2023 e deu cara nova a 705 equipamentos públicos do DF; próximo edital com novos ciclos vai ser lançado em breve

38

“Eu fui vítima de violência doméstica por muitos anos. Eu e minha filha já fomos espancadas e ameaçadas com uma faca pelo meu ex-marido. Mesmo com a medida protetiva, eu não tinha coragem de sair de casa para nada”. Essa triste realidade vivida e compartilhada com a Agência Brasília por Sandra Cristina Gomes, de 46 anos, mudou graças ao RenovaDF.

Após sofrer graves episódios de agressão física, psicológica e financeira, Sandra se afastou do ex-companheiro em dezembro de 2022. Durante um ano, o acolhimento recebido pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) foi crucial para que Sandra desse a volta por cima e superasse todos os traumas vividos durante o relacionamento abusivo: “Esse programa significa para mim gratidão, esperança e, sobretudo, liberdade”, disse, emocionada.

“Foi pelo Creas que me indicaram para participar do programa. Eu entrei no quinto ciclo, que começou em dezembro. Essa oportunidade melhorou muito minha vida como pessoa porque me ajudou a superar meus medos. Eu não tinha coragem de sair de casa. Foi aqui onde fiz amizades e vi que o mundo não parou e eu precisava voltar a viver. O Renova está sendo muito gratificante para mim”, refletiu.

Para além dos objetivos concretos de dar uma nova cara aos equipamentos públicos e, ao mesmo tempo, qualificar os estudantes, o RenovaDF é a esperança que muitos encontram para abrir novos horizontes e ter uma vida profissional promissora. Coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda (Sedet-DF), o programa impactou mais de 7,6 mil alunos em 2023. Este trabalho resultou em 705 equipamentos públicos recuperados e entregues à comunidade.

“Eu passei 25 anos trabalhando como servidora comissionada. Quando fiquei desempregada, eu entrei em depressão. O RenovaDF chegou como uma oportunidade. Eu passava o dia presa dentro de casa, sem condições de fazer nada porque as pessoas me descartavam por conta da minha idade. Eu vim para o programa para ter esperança e abrir novas portas para mim”, revelou a aluna Mônica Neves, de 54 anos.

Para 2024, o programa seguirá com o propósito de transformar a vida de muitos brasilienses em vulnerabilidade. Desde o dia 2 de janeiro, os alunos dos quinto e sexto ciclos já estão com a mão na massa. Cerca de 3.500 profissionais estudam e trabalham de segunda a sexta-feira para recuperar mais 165 equipamentos públicos espalhados em 19 regiões administrativas do DF.

“O RenovaDF é um programa de qualificação profissional que tem atendido outras demandas além da inserção no mercado de trabalho e da geração de emprego e renda. É uma iniciativa de desenvolvimento econômico e social, humanitário e transversal, que auxilia na manutenção estrutural de nossa cidade e dá dignidade às pessoas vulneráveis. Por isso, tem sido premiado, copiado por outros estados e reconhecido por várias instituições e organizações que trabalham com ações humanitárias”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, Thales Mendes.

E se engana quem pensa que as atividades são suspensas durante o período chuvoso. Enquanto não conseguem dar andamento à prática, devido às condições climáticas, os alunos passam por aulas teóricas sobre os mais diversos temas como jardinagem, hidráulica, alvenaria, serralheria e pintura.

“É muito gratificante ver o interesse do aluno. Trata-se de um curso não obrigatório e, mesmo com a chuva, a gente vê o aluno chegar molhado. Eles não encontram empecilhos e realmente agarram a oportunidade. Quando está chovendo muito, a gente conta com apoio das administrações para dar andamento às aulas teóricas. O dia não é perdido por conta das condições climáticas”, detalhou a servidora da Sedet e fiscal do RenovaDF, Cintia Freitas.

É durante as aulas teóricas, inclusive, onde muitos alunos podem se destacar e até mesmo serem indicados para se tornar instrutores dos ciclos seguintes. “Eu sou mãe de cinco e estava com muita dificuldade para arrumar um emprego fixo. Fiquei muito feliz em saber que fui contemplada no programa. Quero ser instrutora para dar continuidade aos meus objetivos profissionais”, revelou a aluna Luciana Reis, 33.

Para quem tem interesse em participar do RenovaDF, fique de olho, pois o edital com os novos ciclos vai ser publicado nos próximos dias. Os cursos têm duração de 240 horas, divididas em três etapas de 80 horas, com quatro horas diárias de atividades. Os alunos recebem auxílio pecuniário equivalente a um salário mínimo após a conclusão de cada 80 horas, auxílio-transporte, seguro contra acidentes pessoais e certificado.

Por Thaís Miranda da Agência Brasília

Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui