Produtores recebem sistemas de tratamento de esgoto doméstico biodigestor em assentamentos no DF

Sistemas foram instalados por meio de programa da Emater-DF e emenda parlamentar

102

Produtores rurais dos assentamentos 1º de Julho, em São Sebastião, e do Patrícia Aparecida, no PAD-DF, celebraram, em solenidade de entrega simbólica, nesta sexta-feira (21), a instalação de sistemas individuais de tratamento de esgoto doméstico em suas propriedades.

Os sistemas foram instalados por meio do programa de Saneamento Rural da Emater-DF, que surgiu da necessidade de melhoria da qualidade sanitária dos alimentos produzidos, bem como para a proteção ambiental e para a promoção da saúde coletiva no campo.

No total, foram entregues, nas duas comunidades, 42 sistemas por meio de emenda parlamentar do deputado distrital Jorge Vianna, que destinou R$ 520 mil para o programa, valor que também engloba mais 10 sistemas no Assentamento 15 de Agosto, também em São Sebastião.

Durante o evento, o presidente da Emater-DF, Cleison Duval, comentou sobre os benefícios do sistema. “Além de levar dignidade aos produtores, o sistema beneficia as famílias no campo, o meio ambiente e ainda garante um alimento saudável na mesa da população do DF”, comemorou. “Estamos seguindo uma determinação do governo Ibaneis, que é levar infraestrutura para a área rural, dignidade e melhoria de vida para as famílias do campo. É isso que estamos fazendo. A união de esforços entre o parlamento, o governo do DF e a comunidade estão sendo fundamentais para o resultado final”, acrescentou.

Aproximadamente 750 sistemas já foram entregues em áreas rurais da capital federal, um investimento total de R$ 8 milhões, por meio de recursos de emendas parlamentares. As fossas biodigestoras tratam o lodo de forma que ele possa ser usado na irrigação de algumas culturas, como flores e plantas ornamentais.

O deputado Jorge Viana destacou a importância da Emater-DF como executora dessa importante política pública. “Quando tem políticos que querem ajudar e técnicos que sabem executar, não tem como dar errado. Nós estamos no melhor momento para a agricultura familiar”, afirmou o parlamentar.

A produtora Maria Dalva dos Santos Melo, que cria galinhas para a produção de ovos no assentamento 1º de Julho, está satisfeita com a entrega dos equipamentos. “Agora que trocamos a fossa negra por essa nova, o ambiente está mais agradável. Esse kit evita o mau cheiro, não atrai mosquitos, e beneficia nossa saúde. Estou muito feliz. Eu nem sei se teria dinheiro um dia para comprar uma dessa”, relatou.

No 1º de Julho, em São Sebastião, o foco do assentamento é a criação de aves de postura. No entanto, alguns produtores também produzem hortaliças orgânicas e já até possuem certificação por Organização de Controle Social (OCS), documento que garante a conformidade de produção orgânica participativa.

No Patrícia e Aparecida, a reunião ocorreu na propriedade da produtora Elenice Moreira Ramos, que é presidente da Associação de Agricultores Familiares do Assentamento Patrícia e Aparecida e Comunidades Adjacentes (Assafapaca) e foi uma das contempladas pelo sistema. No assentamento, as famílias cultivam frutas, algumas nativas do cerrado, e hortaliças, com destaque para a mandioca. As produções ainda são em pequena escala. Alguns produtores cultivam para subsistência e outros para comercialização em feiras ou na própria comunidade.

*Com informações da Emater

Por Agência Brasília

Foto: Divulgação/ Emater / Reprodução Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui