Vacina russa produz imunidade e não gera efeitos colaterais sérios

72

É o que aponta a revista científica The Lancet, em resultados publicados nesta sexta (04/09/20).

A revista científica The Lancet, prestigiada entre os profissionais da Saúde, afirmou nesta sexta-feira (04/09/20) que a vacina russa contra o novo coronavírus, denominada Sputnik V, é segura e produz imunidade.

Os resultados publicados na revista apontam que a vacina russa produziu uma resposta de anticorpos em todos os participantes dos testes em estágio inicial e não houve nenhum efeito colateral sério.

Contudo, a revista afirma que são necessários testes em maior escala e com um prazo mais longo. Os primeiros estudos foram feitos em junho e julho, com 76 voluntários.

Primeira no mundo

A vacina russa de combate ao novo coronavírus foi a primeira a ser registrada no mundo. O anúncio foi feito em agosto pelo presidente Rússia, Vladimir Putin, e gerou desconfiança em cientistas de diversos países por conta da rapidez e dos poucos testes feitos em voluntários.

Desta forma, é a primeira vez que uma equipe de prestígio mundial (a The Lancet) dá um parecer positivo sobre a vacina, o que gera expectativas em todo o mundo. O chefe do Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF), Kirill Dmitriev, afirma que o estudo da revista responde “a todas as perguntas do Ocidente que foram diligentemente feitas nas últimas três semanas, francamente com o objetivo claro de manchar a vacina russa”.

Segundo a agência de notícias Reuters, o chefe da RDIF disse que pelo menos 3 mil pessoas já foram recrutadas para o teste em grande escala da vacina. Os resultados iniciais são esperados para outubro ou novembro deste ano.

Por Redação do Jornal de Brasília com Informações de de Sueli Moitinho do Painel da Cidadania

Foto Reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui