Copa do Mundo reacende a paixão em verde e amarelo no DF

Com a chegada da Copa do Mundo, muitos brasilienses já estão se organizando para curtirem o evento que rola a partir do dia 20 de novembro. Para os torcedores a seleção canarinho, treinada pelo técnico Tite, é uma das favoritas ao título

94

A uma semana do início da Copa do Mundo, que será disputada no Catar, grupos de famílias e de amigos já começam a se mobilizar para não perder sequer um lance da Seleção Brasileira em campo. Com as cores verde e amarela estampadas nas camisas e nas decorações, os torcedores esperam ver a conquista do hexacampeonato. O jogo de estreia do Brasil será em 24 de novembro, às 16h, contra a Sérvia.

Apaixonado por futebol, o publicitário João Miguel Bastos, 24 anos, conta que, em ano de Copa do Mundo, se prepara para acompanhar as disputas. “Geralmente, têm bastante eventos para assistir aos jogos. Mas em toda Copa, eu gosto de organizar pelo menos uma partida para ver com os meus amigos e familiares em casa”, comenta o morador de Arniqueira.

João diz que já se programou para o jogo entre Brasil e Camarões, que ocorre em 2 de dezembro. “Vai cair perto do meu aniversário e é a primeira vez que vai ter Copa nesta época. Espero que possa comemorar a vitória na partida com o Brasil em primeiro lugar no grupo”, pontua o publicitário, que costuma usar a camisa da Seleção em dias de jogo. “Brasil passando de fase, devo fazer outros eventos em casa para reunir os amigos”, completa.

Para este ano, a Seleção Brasileira do técnico Tite deu esperanças ao torcedor, com a melhor campanha da história nas eliminatórias da América do Sul. A equipe canarinha teve aproveitamento de 88% com 14 vitórias e três empates.

João acredita que a Seleção Brasileira vem forte para o Mundial no Catar. “É uma das favoritas ao título, mas não é a única, colocaria junto com a Argentina e a França”, pondera. “Espero que seja uma ótima Copa, cheia de gols, alegria e memes, apesar de tudo que envolve as questões relacionadas à sede escolhida.”

Para o publicitário, que tem três irmãos, a Copa é uma oportunidade de juntar a família. Irmã dele, a servidora pública Paula Brito, 34, destaca que “está procurando festas para aproveitar com a família e amigos”. A moradora da Asa Norte vai viajar durante o evento mundial e aproveitará alguns dias de jogos em São Paulo. “O hexa vem com certeza. Vai ser difícil, mas vai dar certo”, confia a torcedora.

Também fã do esporte, Paula aproveita a data para encontrar os amigos. “Em São Paulo, sairei com amigos para ver os jogos. Em Brasília, devo ficar mais com a minha família”, comenta. A servidora gosta tanto de futebol que segue empenhada em completar o álbum da Copa. “Comprei e já gastei tanto que agora tenho que finalizar”, explica.

O grupo de amigos Eduardo Vinicius, 22; Jackson Araújo, 29; Paulo Henrique, 31; e Hebert Lima, 27, está animado para a Copa do Mundo. Eles colocam em Neymar a esperança para a conquista. Os amigos gostam de ver os jogos da Seleção Brasileira em barzinhos. “Onde rolar a loucura, a gente está lá”, enfatiza Eduardo.

Os rapazes ressaltam que não pode faltar a camisa amarelinha da Seleção e relembram momentos ruins para o futebol brasileiro. “Não quero colocar a camisa para ver um novo 7 x 1. Nesse dia, estava chorando em churrasco, estava alucinado”, recorda Jackson, rindo do fatídico embate contra a Alemanha em 2014.

No último título do Brasil no Mundial, os amigos relatam que eram muito pequenos. “Eu não tinha noção do que era futebol, e muito menos uma final de Copa do Mundo”, diz Hebert.

Eles iniciaram a relação de amizade recentemente, após terem sido contratados por uma churrascaria na Asa Sul. “Somos amigos há muito tempo, um mês já (risos). É pouco tempo, mas a sintonia bateu forte. Nós quatro somos apaixonados por futebol”, argumenta Eduardo.

*Estagiário sob supervisão de Euclides Bitelo

Por Correio Braziliense com informações de Sueli Moitinho

Foto: Reprodução Correio Braziliense

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui