Feminicídios dobram no DF em relação a 1º trimestre de 2022

Companheiros e ex-companheiros são responsáveis por 75% dos casos de feminicídio, e as principais motivações são brigas e términos

308

Uma triste estatística para o Distrito Federal: o número de feminicídios registrados até a primeira semana de março deste ano é o dobro de casos registrados no primeiro trimestre de 2022. Já são oito mulheres assassinadas até o momento, contra quatro em 2022. Os dados foram divulgados pelo Painel de Feminicídios da Secretaria de Segurança Pública do DF (SSP-DF)

No ano inteiro de 2022 foram 18 feminicídios registrados, sendo dois em janeiro, um em fevereiro e outro em março, conforme gráfico divulgado pela SSP-DF:

Neste ano, seis mulheres foram mortas ainda em janeiro, e outras duas no começo deste mês. No último dia 2, Celina Leão, a governadora em exercício, lançou o programa Maço Mais Mulher, e lamentou os casos de feminicídio, “Parem de matar nossas mulheres e de deixar nossas crianças órfãs”, disse ela.

Todas as vítimas do DF neste ano foram assassinadas por companheiros ou ex-companheiros. Segundo o boletim Elas Vivem: dados que não se calam, lançado pela Rede de Observatórios da Segurança, eles são os responsáveis por 75% dos casos de feminicídio, e as principais motivações são brigas e términos de relacionamento.

A Polícia Civil do DF disponibiliza quatro meios para denúncias, que podem ser feitas de forma online, pelo telefone 197 (opção 0), pelo e-mail denuncia197@pcdf.df.gov.br e pelo WhatsApp (61) 98626-1197).

Por Camila Bairros do Jornal de Brasília

Foto: Reprodução Jornal de Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui