Reposição de aulas perdidas no DF durante a greve deverá ser presencial

Regras definidas em conjunto com o Sinpro foram expostas em uma circular para as escolas e CREs

58

A reposição das aulas perdidas durante a greve dos professores da rede pública de ensino do Distrito Federal deverá ser feita de forma presencial, com a presença da maioria dos alunos da sala de aula e, preferencialmente, no turno em que o estudante está matriculado. As regras, definidas em conjunto com o Sindicato dos Professores (Sinpro), foram expostas em uma Circular da Secretaria de Educação do DF (SEE) para as escolas e as coordenações regionais de ensino.

Como cada professor aderiu à greve por períodos diferentes, as datas de reposição deverão ser estabelecidas, em conjunto, pelos docentes, orientadores educacionais e equipe gestora de cada unidade escolar.

Todos os sábados de junho serão reservados para a reposição de aulas, assim como os períodos de 12 a 15 e de 17 a 22 de julho e os sábados 1º e 8 de julho. De acordo com a circular, as reposições não poderão ser aos domingos e feriados. Haverá um recesso escolar mínimo obrigatório na semana de 24 a 28 de julho, mesmo para quem aderiu à greve total ou parcialmente.

Os profissionais que aderiram à greve e não atuam em sala de aula também devem repor os dias parados. Fica assegurado aos professores que não participaram da greve o recesso escolar, no período de 10 a 27 de julho, sendo que 10 e 11 são considerados dias letivos móveis.

*Com informações da Secretaria de Educação

Por Agência Brasília Foto: Reprodução Jornal de Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui