UBS leva vacina à Vila do Pescador

Moradores puderam se vacinar contra a covid-19 e a gripe, bem como aferir pressão, medir glicemia e se consultar com médicos e dentistas

79

Em continuidade ao trabalho junto às comunidades desenvolvido pela Secretaria de Saúde (SES) de tornar a vacina cada vez mais acessível à população, a Unidade Básica de Saúde (UBS) 1 da Asa Sul levou atendimento primário à saúde aos moradores da Vila do Pescador, localizada no Acampamento Saturnino de Brito, na Avenida das Nações. Na ação, foram oferecidas vacinas contra a covid-19, gripe e antitetânica, além de aferição de pressão arterial, medição de glicemia, assistência médica e em saúde bucal. Cerca de 40 moradores foram atendidos.

“O objetivo da SES é levar a vacina até onde o cidadão está. Por isso, estamos investindo na aplicação de imunizantes fora das salas de vacinação. É uma iniciativa excelente para que o DF avance no número de pessoas protegidas”Lucilene Florêncio, secretária de Saúde

A secretária de Saúde, Lucilene Florêncio, reforçou que o governo realiza busca ativa da população não vacinada. “O objetivo da SES é levar a vacina até onde o cidadão está. Por isso, estamos investindo na aplicação de imunizantes fora das salas de vacinação. É uma iniciativa excelente para que o DF avance no número de pessoas protegidas”, disse.

A iniciativa na Vila do Pescador ocorreu após os profissionais perceberem que os moradores, vivendo sob condições de vulnerabilidade, começaram a procurar o serviço de odontologia local e, no momento da consulta, eram constatados níveis de pressão elevados. Diante do quadro, a equipe Vermelha da unidade mapeou a área, com o auxílio de agentes comunitários e assistentes sociais do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf).

Responsável pela ação, a médica Luciana Cabral relatou que a maioria das pacientes são homens e portadores de doenças crônicas. “Fizemos um estudo e decidimos agir no local. Por duas semanas, registramos esses pacientes e, na análise, vimos que tinham muitos homens, principalmente hipertensos, sem nenhuma assistência de saúde, muitos sem vacinação”, observa.

O pescador João Batista Peres de Sousa, 56 anos, se consultou e aproveitou também para se vacinar contra a gripe.“Estava com manchas no corpo. Estou tratando e sendo bem atendido. Esse tipo de serviço é bom porque quase não temos tempo para ir ao posto e traz qualidade de vida”, elogiou.

Luciana reforça que a iniciativa foi um primeiro contato. Os pacientes irão retornar com os profissionais para dar continuidade ao tratamento iniciado. “Estamos medicando e garantindo o agendamento”, garante. “Sabemos que é um trabalho de formiguinha. Essa não é nossa primeira ação com pacientes desse tipo de comunidade. O importante é o cuidado voltado à população, principalmente a mais vulnerável. Muitos precisam e não nos buscam por questões de logística, de necessidade, por falta de conhecimento. Então, é fundamental trazer o cuidado para aqueles que realmente precisam”, afirma.

Antitetânica

Dentre os imunizantes, a equipe não deixou de fora a antitetânica. “A maioria deles têm como profissão a pesca. Muitas vezes fazem isso descalços e se cortam. O tétano é uma doença fatal que tem prevenção, mas não tem tratamento”, reforça Luciana.

O reciclador Deyvison Prado de Moura, 23 anos, realizou a primeira consulta no local, também colocou em dia a vacina antitetânica e realizou a aferição de pressão. “É importante. A gente não tem tempo, às vezes, nem recursos. Para mim, que trabalho com reciclagem, essa vacina é muito boa. Às vezes a gente se corta. Achei uma boa iniciativa para a comunidade”, explicou.

Participante da equipe de saúde bucal, a odontóloga Rafaela de Almeida ressaltou a importância da ação e distribuiu kits de higienização. “É fundamental essa aproximação. Muitos não têm acesso e é uma quebra de barreiras para que eles recebam o tratamento a que têm direito”, explica.

Vacina para servidores

‌Neste mês, a SES ampliou a vacinação em órgãos públicos para que servidores do DF tenham a oportunidade de se imunizar no próprio ambiente de trabalho. A ação já aconteceu no Buriti, Tribunal de Contas da União (TCU) e Polícia Federal. No dia 12, é a vez dos servidores da Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Já nos dias 13 e 14 de junho, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) recebe os imunizantes contra a gripe e a covid-19.

Neste Dia Nacional da Imunização, o Distrito Federal tem motivos para comemorar. Somente em 2023, já foram mais de 1,3 milhão de doses aplicadas, envolvendo tanto as vacinas previstas no calendário de rotina quanto as campanhas contra a covid-19 e a influenza.

*Com informações da SES-DF

Por Agência Brasília

Foto: Divulgação/SES-DF / Reprodução Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui