Festas juninas movimentam setor atacadista do DF

Ainda segundo o Sindiatacadista, em decorrência da Covid, os hábitos de consumo brasiliense foram alterados

69
Festa Junina na Praça Monsenhor Marcos

As bandeirinhas penduradas em vários locais da capital federal avisam que as festas juninas já chegaram. O calendário de eventos da cidade, mostra que tem arraiá até o fim de julho, são opções com shows, quadrilhas, brincadeiras e recheadas de comidas típicas. A estimativa do Sindicato do Comércio Atacadista do Distrito Federal (Sindiatacadista/DF) é que haja um aumento nas vendas em relação ao ano passado.

De acordo com Álvaro Júnior, presidente do Sindicato do Comércio Atacadista do Distrito Federal (Sindiatacadista/DF), as vendas, em junho, bebidas típicas, canjica, pipoca, milho, doces derivados do amendoim e fogos de artifício, devem aumentar 15% em relação ao mesmo período do ano passado. “Essa época é muito importante para o setor atacadista. A vida voltou a normalidade o brasileiro gosta de festejar. Em 2022 tivemos um grande fomento nas vendas, acreditamos que este ano será ainda melhor”, afirma Álvaro Júnior.

Ainda segundo o Sindiatacadista, em decorrência da Covid, os hábitos de consumo brasiliense foram alterados: as festas em clubes, igrejas e entidades sociais foram substituídas por algo mais intimista, feito dentro das próprias residências. “Com isso, as vendas institucionais dos produtos juninos caíram, mas o consumo familiar aumentou. Superado o período pandêmico, as pessoas querem aproveitar os festejos externos. Volta-se o padrão de consumo, sendo que para esse ano há uma expectativa de crescimento de no volume de vendas”, relata Álvaro Júnior.

Quem está animado é Fabrício Borges Graciano, gerente comercial da Merit Importadora Ltda, atacadista no ramo de vinhos em Brasília, anuncia que a expectativa é de crescimento de 30% nas vendas, se comparado aos anos anteriores. “O período de Festas Juninas, de maio a julho, é o mais importante para as vendas de vinhos no Brasil que coincide com inverno e, este ano, a Merit Importadora prevê um aumento de até 30% considerando todo o portfólio de vinhos, incluindo suas versões mais econômicas”, comemora Fabrício.

Rodrigo Mamede, Diretor Comercial da Sobebe, relata que a pandemia atrapalhou todas as festividades, mas com a retomada das atividades, as festas juninas voltaram a todo vapor. “Iniciamos o mês de maio com um produto novo, com uma marca de derivados de amendoim, que é a cara dos arraiás. Nós estamos surpresos com a quantidade de encomendas, interesse pela mercadoria,” explica.

Gustavo Alves, da Disdal também prevê um crescimento nas vendas. “O período junino é conciliado com o inverno o que fomenta não só a venda dos derivados do milho e amendoim como também a venda de vinhos, massas, queijos e chocolates. Nossa expectativa para esse ano e de 20% a mais de vendas bruta quando comparamos ao ano anterior”, finaliza Gustavo.

Por Redação do Jornal de Brasília

Foto: Reprodução/Agência Brasil / Reprodução Jornal de Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui