GDF anuncia mais de mil cirurgias oftalmológicas

Secretaria de Saúde investe mais de R$ 2,8 milhões nos procedimentos, que serão realizados em hospitais da rede complementar

65

Mais de mil cirurgias oftalmológicas serão realizadas em hospitais da rede complementar da Secretaria de Saúde do DF (SES-DF). A assinatura de três contratos vai garantir a realização de 1.106 procedimentos. Seguindo o credenciamento lançado em junho, foram homologadas as propostas do Hospital de Olhos (CBV), do Hospital Dia e da Oftalmed. O investimento total supera os R$ 2,8 milhões.

“Com os procedimentos contratados, vamos atender praticamente todos os pacientes em espera. Nossa rede continuará a realizar os serviços, mas, neste momento, esse reforço da rede complementar será fundamental para atender a uma demanda reprimida que cresceu durante a fase mais crítica da pandemia de covid-19”, explica a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio.

Serão realizadas cirurgias de catarata (350), estrabismo (104), vitrectomia (649) e retinopexia (3). O total de procedimentos foi dividido de forma proporcional e igualitária, de acordo com as normas vigentes e as propostas apresentadas pelas empresas aprovadas. O Hospital Dia fará 117 cirurgias de catarata. O OftalMed será responsável por 117 de catarata e 53 de estrabismo. Já o CBV será contratado para os 819 procedimentos restantes.

O subsecretário de compras da SES-DF, Victor Ribeiro da Costa, destaca que as três instituições da rede complementar precisaram manter as exigências de qualificação econômico-financeira e habilitação fiscal, social, trabalhista e jurídica, além de análise técnica da própria secretaria. “Tivemos mais propostas que o número de vagas a serem contratadas. Isso significa que estamos com uma boa relação com a rede complementar, que reconhece a seriedade na condução dos contratos”, avalia.

“Nossa rede continuará a realizar os serviços, mas, neste momento, esse reforço da rede complementar será fundamental para atender a uma demanda reprimida que cresceu durante a fase mais crítica da pandemia”Lucilene Florêncio, secretária de Saúde

População beneficiada

A iniciativa vai beneficiar tanto adultos quanto crianças e idosos. Todos serão encaminhados para os hospitais da rede complementar, conforme as listas de prioridades organizadas pelo Complexo Regulador do Distrito Federal.

A porta de entrada para quem precisa dessas cirurgias é a rede de Unidades Básicas de Saúde (UBSs), onde ocorre o primeiro atendimento. De lá, os profissionais de saúde direcionam os pacientes para um dos dez ambulatórios de oftalmologia, localizados nos hospitais regionais de Ceilândia (HRC), Taguatinga (HRT), Gama (HRG), Guará (HRGu), Asa Norte (Hran), Paranoá (HRL) e Sobradinho (HRS), além do Instituto Hospital de Base, do Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) e do Hospital Universitário de Brasília (HUB).

Em paralelo aos procedimentos realizados na rede complementar, as unidades da SES-DF também continuarão a fazer cirurgias, sendo o Hran referência para crianças e o HRT o maior receptor de pacientes com catarata.

Para os casos de emergências, como cortes, pancadas, queimaduras, conjuntivite e entrada de corpos estranhos nos olhos, os atendimentos ficam concentrados no Hospital de Base e no HRT, com pronto-socorro 24 horas, e o Hran, com funcionamento das 7h às 19h. As três unidades acolhem pacientes de todo o DF.

*Com informações da Secretaria de Saúde do Distrito Federal

Por Agência Brasília

Foto: Divulgação/ Secretaria de Saúde / Reprodução Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui