Agentes da Pdad-A estarão em nove RAs neste mês

Meta dos responsáveis pela pesquisa é visitar 25 mil domicílios no período de quatro a seis meses

24

A Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios Ampliada (Pdad-A), realizada pelo Instituto de Pesquisa e Estatística do Distrito Federal (IPEDF), começou na última segunda-feira (6). Até 5 de dezembro, os agentes de coleta visitarão residências nas regiões administrativas (RAs) de Ceilândia, Gama, Fercal, Planaltina, Recanto das Emas, Samambaia, Santa Maria, São Sebastião e Sobradinho, além dos municípios goianos de Águas Lindas, Luziânia, Novo Gama e Valparaíso.

Na etapa seguinte, de dezembro de 2023 a janeiro de 2024, a coleta será em Águas Claras, Guará, Jardim Botânico, Lago Sul, Lago Norte, Núcleo Bandeirante, Plano Piloto, SCIA/Estrutural, Sudoeste/Octogonal e Taguatinga. No Entorno, os agentes atuarão em Formosa e Padre Bernardo.

Plano Piloto segue na terceira etapa da pesquisa, que também percorrerá Água Quente, Brazlândia, Itapoã, Paranoá, Park Way, Riacho Fundo, Sobradinho II, Varjão, Vicente Pires e a área rural do Distrito Federal entre janeiro e fevereiro de 2024. Em Goiás, a coleta será realizada na Cidade Ocidental e em Santo Antônio do Descoberto.

Na última etapa da coleta, de fevereiro a março de 2024, os agentes continuam em Vicente Pires e chegam a Arapoanga, Arniqueira, Candangolândia, Cruzeiro, Riacho Fundo II, SIA e Sol Nascente/Pôr do Sol. Para finalizar os municípios goianos da Área Metropolitana de Brasília (AMB), os agentes estarão em Alexânia, Cocalzinho, Cristalina e Planaltina.

A Pdad-A é a atualização da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (Pdad), considerado o mais importante levantamento regional domiciliar e que abrangia as áreas urbanas do DF. Agora ampliada, a nova pesquisa agrega a Pdad Rural – que compreendia as áreas rurais – e a Pesquisa Metropolitana por Amostra de Domicílios (Pmad), focada nos municípios goianos que integram a AMB. Além disso, a Pdad-A inclui as duas novas RAs: Água Quente e Arapoanga.

A meta dos responsáveis pela pesquisa é visitar 25 mil domicílios no período de quatro a seis meses. Os dados obtidos serão utilizados pelos gestores públicos na elaboração e implementação de políticas adequadas às necessidades da população, além de investimentos mais efetivos.

*Com informações do IPEDF

Por Agência Brasília

Foto: Geovana Albuquerque/Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui