Desfile Beleza Negra celebra a diversidade racial da moda no pátio da CLDF

O 18º Desfile de Beleza Negra (DBN) ocorreu nesta sexta-feira (24/11), na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF). Para a organizadora Dai Schmidt, é necessário conscientizar a sociedade sobre a igualdade racial e levar aos espaços públicos a temática

42

O 18º Desfile de Beleza Negra (DBN) ocorreu nesta sexta-feira (24/11), na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF). O desfile é um dos mais aguardados no calendário cultural de Brasília e celebra o Mês da Consciência Negra. O evento traz uma mensagem sobre o combate ao racismo e quebra de padrões de beleza por meio da moda.

A idealizadora do evento Dai Schmidt acredita que é necessário conscientizar a sociedade sobre a igualdade racial e levar aos espaços públicos a temática. A produção dos figurinos da noite foi no estilo África, Senegal e cores brasileiras por Gi Rodrigues Store e vestiu 30 modelos. Dai estima que cerca de 200 pessoas prestigiaram o desfile de moda.

Para a idealizadora, o evento de moda trabalha a autoestima da população preta. E passa a mensagem de que pessoas pretas estão lutando para serem inseridas dentro do mercado de trabalho da moda. ”É muito árduo lutar pela causa porque a gente tem que bater muito de frente para que as coisas aconteçam e quando se trata da população preta a gente tem que realmente vestir a camisa e se não consegue fazer acontecer”, disse a produtora de moda.

O sócio-diretor do projeto Jorge Guerreiro ressalta a discussão estética por trás do evento. “Por ser um desfile de moda eu acho que ele renova todo um olhar sobre os conceitos de beleza no nosso mundo, e eu acho que é sempre muito esses discursos está em alta, esse evento diz muita coisa”, conta.

A madrinha do projeto, deputada distrital Doutora Jane, acredita que fazer o desfile em um espaço como a Câmara Legislativa é essencial. É aqui que se repercute todos os temas e pautas e que esse desfile de moda possa também gerar discussões.” disse a distrital. Para ela é preciso desconstruir o que o padrão de beleza tira aquela história de beleza que a beleza preta é exótica. “A beleza existe em todos os sentidos e todas as cores, todos os tamanhos”, defende Jane.

Por Mariana Saraiva do Correio Braziliense

Foto: Minervino Junior/CB / Reprodução Correio Braziliense

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui