Jovens aprendizes terão palestra da DPDF sobre dependência em drogas

O evento ocorrerá na segunda (27), na Easjur/DPDF; em 2023, o programa Laços de Ismael realizou várias atividades para mulheres e jovens aprendizes, como capacitações e atendimentos itinerantes

49

A última palestra do Trilhas da Educação em Direitos da Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF) para jovens aprendizes que fazem parte do programa Laços de Ismael será realizada na segunda-feira (27). O evento ocorrerá na Escola de Assistência Jurídica da Defensoria Pública (Easjur/DPDF), das 9h às 11h e das 14h30 às 16h30, e terá como tema a drogadição. A palestra contará com a participação de adolescentes da profissionalização e de baixa renda entre 15 e 20 anos. O intuito é de que a iniciativa seja estendida para o próximo ano.

Ao longo de 2023, o Laços de Ismael realizou várias atividades para mulheres e jovens aprendizes em diversas linhas de atuação, como ações na Casa de Ismael – Lar da Criança, reuniões, capacitações, atendimentos itinerantes, entre outros. O programa conta com o apoio do Serviço Social do Comércio (Sesc), do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF).

A nova vertente de atuação da Educação em Direitos da DPDF contou com seis palestras, realizadas em 12 encontros. A linha de atuação do Trilhas de Educação em Direitos contabilizou, ao todo, 28 horas. As palestras abordaram diversos temas e ocorreram na primeira e na última segunda-feira de cada mês, nos turnos matutino e vespertino, entre 4 de setembro e 27 de novembro, na Easjur/DPDF.

Os encontros tiveram como intuito conscientizar os participantes e abordaram temas como Conhecendo a Defensoria Pública e a sua atuação para o acesso à Justiça, abordado pelo defensor público e diretor da Easjur/DPDF, Evenin de Ávila; a gravidez na adolescência, retratado pela defensora pública do DF Andréia Leardini; e Os adolescentes e jovens em conflito com a lei, abordado pelos defensores públicos do DF Guilherme Vieira e Márcio Del Fiore, além do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), a violência doméstica e a drogadição.

O defensor público-geral, Celestino Chupel, destaca que a iniciativa é estratégica para capacitar adolescentes e jovens para compreenderem, defenderem e exercerem seus direitos. “A Educação em Direitos promove uma sociedade mais justa, consciente e participativa, contribuindo para o fortalecimento da cidadania e o respeito aos princípios democráticos”, defendeu.

Para o defensor público e diretor da Easjur/DPDF, Evenin de Ávila, a Educação em Direitos ofertada aos jovens aprendizes é particularmente crucial para estudantes em situação de vulnerabilidade, pois ela oferece uma série de benefícios que podem ter um impacto significativo em suas vidas. “A Educação em Direitos para estudantes vulneráveis não apenas protege seus interesses, mas também os capacita a se tornarem agentes ativos em suas próprias vidas e defensores da justiça social em suas comunidades. Essa abordagem contribui para a construção de um ambiente escolar mais inclusivo e equitativo”, explicou.

Laços de Ismael

A parceria firmada em março deste ano entre a DPDF, a Casa de Ismael – Lar da Criança, o Sesc e o Senac oferta atendimento inclusivo a crianças, adolescentes e seus familiares em situação de risco e vulnerabilidade social, proporcionando serviços de assistência jurídica, de Educação em Direitos para jovens aprendizes, de qualificação profissional para as mães e de ações preventivas de saúde. O foco é reunir os serviços ofertados pela Casa de Ismael aos prestados pelas instituições parceiras para beneficiar os cidadãos atendidos pela organização social, encadeando uma cooperação em torno dos atendidos com acesso à ordem jurídica justa.

Ao todo, o programa Laços de Ismael levou atendimento para mais de três mil famílias do Distrito Federal em 2023. Em setembro deste ano, por exemplo, foi realizada ação itinerante na Casa de Ismael de Sobradinho II. Durante o evento, que contou com o apoio da Unidade Móvel de Atendimento Itinerante da DPDF, foram ofertados serviços de assistência jurídica, Educação em Direitos, qualificação profissional e ações preventivas em saúde. Brazlândia também foi contemplada com o programa Laços de Ismael. A ação realizada na região administrativa em junho realizou o atendimento inclusivo de crianças, adolescentes e seus familiares vinculados à Casa de Ismael.

Para o presidente da Casa de Ismael, Valdemar Martins, o programa é fundamental para as famílias atendidas pela instituição. “O projeto não apenas amplia o acesso das pessoas vulneráveis aos serviços jurídicos oferecidos pela Defensoria Pública do Distrito Federal, mas também permite uma identificação mais eficaz das necessidades específicas das pessoas vulneráveis, unindo esforços e tratando das questões legais, das necessidades sociais, médicas e psicológicas daqueles que mais precisam”, afirmou.

Mãe provisória de quatro crianças, Luciane Maria Rodrigues, 52 anos, comemorou a chegada do programa na vida das crianças. Moradora de Planaltina, ela conta que conseguiu certidões de nascimento e matrículas em escolas, além de serviços de saúde como vacinação, atendimento odontológico e médico. “A mãe das crianças está em situação de rua e o pai está preso. As melhorias geradas na vida dessas crianças, por meio do Laços de Ismael, tem influência transformadora na vida delas que fortalecerá nossos laços e proporcionará um senso de pertencimento”, definiu.

*Com informações da Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF)

Por Agência Brasília

Foto: Reprodução Diário de Uberlândia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui